Masoquismo antropológico

"Vítima que sou de uma dupla enfermidade, tudo o que vejo me fere, e censuro-me sem cessar de não observar o suficiente."
Claude Levi-Strauuss "O fim Das Viagens", Tristes Tropiques


Por vezes, tentar perceber os trilhos seguidos por este mundo onde a vida se abastece assemelha-se a uma forma de masoquismo antropológico. Para sua desgraça, Lévi-Strauss chegou tarde demais aos trópicos, já contaminados pelo ímpeto destrutivo do Ocidente. Então como agora, percebemos que o olhar ferido pelas agruras do mundo jamais se poderá bastar com a contemplação, ou com o cinismo da análise distanciada. O masoquismo antropológico não é necessariamente um cepticismo sobre o homem, deverá ser, isso sim, o doloroso deambular sobre as ruínas, o doloroso resgate de insterstícios de esperança capazes de dar alento a outras viagens.



<< Home