Democracia e seus naufrágios

Às vezes apetece mesmo perguntar quem votou neste governo. Curiosamente no caso português existe uma resposta, desconcertante é certo: ninguém votou, nem em Santana Lopes para primeiro ministro, nem em Paulo Portas para líder de facto do governo português. Para mais não dizer, veja-se o que nos revela o rescaldo da passagem do barco Women on Waves:

Análise feita na TSF a partir do Barómetro TSF:
"Correu mal ao Ministro de estado, da Defesa e dos Assuntos do Mar a gestão do dossier «Barco do Aborto». Mais de 56 por cento dos inquiridos afirmam que Paulo Portas geriu mal o caso contra apenas 30 por cento que diz que Portas esteve bem.

O barco do aborto feriu também a legislação portuguesa. Os resultados do barómetro indicam que quase 60 por cento dos portugueses querem uma alteração à lei e 60 por cento querem que a prática do aborto seja descriminalizada.

Mais expressiva é a defesa em torno de um novo referendo sobre o aborto. 77 por cento concorda com uma nova consulta.

Apesar do Governo invocar um compromisso eleitoral para não voltar a referendar tão cedo o tema aborto, o facto é que do universo de votantes PSD, 7 em 10 dizem sim a um novo referendo."



<< Home