Combóios e amantes

Numa réplica a um post aqui escrito, o virtuoso Jorge (agora no Blog de EsquerdaII) escreve um lindo texto sobre combóios. Jorge, também eu sou louco por combóios e por todo o simbolismo que deles emana, também eu me deleito com despedidas românticas na estação. Essas despedidas são mágicas, mas também podem ser dolorosamente mágicas, e, por isso, esses palcos para a perda, na sua vocação para a posteridade, insistem em arder com maior perseverança. Nos filmes é mais fácil. Quando me acontece experenciar tais momentos tento temperar o simbolismo romântico com um cinismo defensivo. Foi o que fiz naquele post. Nada que dure. Nada em que eu acredite (não sei se devia).

[vários blogs têm respondido às FAQ's, far-lhes-ei referência proximamente]



<< Home