O pior é que fico triste...


A besta do jogo: Scolari; Apanhou um baile táctico - falta de trabalho de casa -, mostrou que em tanto tempo nada se fez que se pareça com uma equipa. A qualificação foi um carnaval de experiências mirabolantes - todas falhadas.
Jogada infeliz: Paulo Ferreira; entrou nervoso, a primeira vez que tal se vê, será que faltaram as palavras certas no balneário?
A cruz que todos carregamos: Rui Costa; interessante a fazer tabelas com Figo no meio campo e passes rasgados para a linha de fundo, enfim...
Melhores jogadores: Maniche, Figo, Deco e Cristiano Ronaldo; o melhor 11 jogou os últimos 30 minutos, parece que alguém ainda não percebeu que pode jogar com os melhores de início, a UEFA não castiga. Consta.
Ausente: Ricardo carvalho; Fernando Couto e Jorge Andrade não se entenderam com os dois pontas de lança gregos. Ver Ricardo carvalho no banco até deve dar para rir à europa do futebol.
Momento aviltante: a conferência de imprensa de Scolari; Ainda não houve um mau reultado que ele não descalçasse com erros individuais dos jogadores. Uma estratégia discursiva que há muito pretende fazer esquecer o futebol (não) jogado pela sua equipa.
A surpresa: o apoio do público; Parece que a conversa de uma bandeira por janela pegou.
O que eu gostava: ter acompanhado o jogo com os comentários de José Mourinho

Agora bem podemos fazer contas. Mas, gostemos ou não, esta equipa esteve à imagem daquela que conhecemos em toda a qualificação. A minha convição é que se algo conseguirmos de bom será sempre "apesar de Scolari".



<< Home