O pecado da obesidade

Estava eu a olhar para o tecto quando decidi fazer um intervalo. Ligo o jornal da SIC e aparece uma jornalista que, falando dos perigos do desporto sem conselho médico, disse algo do género: "as pessoas que antes do verão enchem os ginásios para compensar a gula..." E assim foi debitando umas coisas. É óbvio que há um certo ridículo nessa sazonalidade na preocupação com o corpo. Agora, uma coisa bem diferente é o subtexto que fica: a ideia de que quem é obeso (ou apenas não tem um corpo não modelar) mais não é que a vítima da sua propria gula.

A gula consta entre os 7 pecados mortais, mas, na modernidade ocidental, ela alude mormente um outro tipo de fracasso: O fracasso na falta de controlo individual, na capacidade de definição de um self/eu valorizado por via de um corpo socialmente aceite. Ou seja, esta subtil condenação de quem é gordo pela alarvidade e pela falta de controle é uma estupidez que muitas vezes deixamos passar. De facto, há formas de discriminação que são muito subtis e que ainda não têm o mau nome que merecem.



<< Home