Nas asas de um desejo (act.)


O itinerário de transcendência do humano, representado nas mitologias religiosas de conversão ao divino, encontra uma simetria mitológica nesse fascínio nosso pela ideia da conversão de um anjo à humanidade. (Ideia representada, por exemplo, em As Asas do Desejo, Cidade dos Anjos, e também aflorada na série - quem se lembra? - Um anjo na Terra)

Duas transgressões que apelam a duas transcendências. De um lado, o confronto com deuses que são sobre a vida, do outro, o acolhimento xamânico do terreno "evangelho do amor romântico". De um lado, o itinerário missionário de trasformação do mundo, do outro, a busca de uma só alma, não para a mudar, mas para a viver indefinidamente. De facto, a idade da razão representada na agonia Sartriana pode ser a escolha de uma destas mitologias, mas pode ser também a desistência de qualquer ideia de transcendência.

Os inconversos são pois aqueles que não se sentem suficientemente generosos para se arvorarem anjos, e não se sentem suficientemente audazes para se entregarem aos desígnios de um sentimento que põe em causa o status quo vivencial.



<< Home