Fátima

Talvez por ser uma pessoa com fé, talvez por sempre apelar a um proverbial relativismo antropológico, tento frequentemene fazer uso de uma leitura "compreensiva" das manifestações de crença. Fátima, por diversas razões resiste a esses exercícios de "entendimento":
1- Pela mercantilização da fé.
2- Pelo pragamatismo histórico da Igreja católica, acostumada a incorporar aquilo que não consegue negar.
3- Pelo aberração cristã constituída pelo emprego do sacrifício físico, quer como como meio salvífico e redentor per si, quer como forma de pagamento de promessas.
O peregrino de Fátima é uma imagem que me perturba.



<< Home