A página dos agradecimentos

Sempre gostei de atentar nas páginas de agradecimentos que constam das teses ou dos livros publicados. É interessante como, sobretudo devido à volatilidade das relações amorosas, se torna frequente depararmo-nos com agradecimentos feitos a pessoas que já lá não estão. Por isso, não raras vezes, essas alusões aparecem, pouco tempo depois, como anacronismos que nos remetem para partilhas que perderam a sua actualidade. No entanto, essas memórias escritas podem também ser o anúncio profético da paz alcançada por quem sabe guardar as dádivas daqueles que hão-de partir. O uso do tempo futuro nos agradecimentos corre o risco de os esvaziar no por-vir. Já a mitologia dos anjos nos sugeria que a gratidão não deve depender de eternidades, ou por outra, o desafio é saber beber uma gratidão eterna na estranha fugacidade das experiências que se cruzam.



<< Home