Incorpora-me isso!

Tenho a noção que sou, em certa medida, um abutre gosta de se nutrir de histórias de vida e relatos de cariz confessional. Como há uns dias dizia a uma amiga (cusca confessa), talvez eu esteja num limbo entre aquilo que é um cusco (por defeito de formação, quero crer) e alguém que tende a fazer da vida dos outros uma questão pessoal. Interessante, a segunda possibidade lembra a ténue fronteira ente o nosso reduto pessoal e riqueza da vida social.
Mas, dizia eu, tendo algo de abutre, fiquei deliciado quando um amigo, após reflectir argutamente sobre um episódio da sua existência, me ordenou sonante: "Vá, mete essa merda nos teus pensamentos!"

Para ser sincero já não sei se me lembro da "merda", ficou a frase.



<< Home