Decotes: Uma prece ao deus-sol


1- Não, não se trata do fenómeno da líbido-activada-pelo-boletim-metereológico. Sublinho apenas a ironia: há quem clame pelo sol e há quem o disfrute. Nunca são os mesmos. O sol e os decotes ficam lá fora, é justo.
2- Por mim falando, acredito sinceramente que é possível uma relação estética não erótica com os decotes. . Não é preciso ser eunuco para ser um esteta desinteressado, da mesma maneira que é possível que as mulheres hetero e a malta gay se interessem por decotes alheios...

Na verdade, por definição, os decotes nunca são completamente alheios. Diferentemente, contam a exacta história daquilo que é possível mostrar em público. Em última instância, é nessa relação com o "público" que eles fazem sentido.



<< Home