Tachos e cordeirinhos

Direi que sou contra o aborto, recuso um discurso facilitista que às vezes se esgrime, mas sou a favor da despenalização e sou a favor da sua realização em estabelecimento público de saúde. Se os deputados do PSD seguirem hoje a ordem partidária, negando, muitos deles, a sua consciência em nome de uma concordata politica com Paulo Portas, a coligação que está no poder conhecerá o seu mais profundo descrédito desde o início da legislatura. Ninguém, seja a favor ou contra a penalização do aborto, poderá ficar contente com este modo grotesco de de deliberação política. Estou a acompanhar o debate na Assembleia da República. Djamila Madeira, arguta, tentou falar ao íntimo dos deputados. Leonor Beleza, altiva e nasalada, desgraçadamente defende o indefensável. Nota-se que não acredita no que diz. Justifica o acordo partidário, lembra as situações em que o aborto é legal, re-invoca a importância da educação sexual, do planeamento falimiliar... O cinismo devia ter limites.



<< Home