Sejamos Iberia na dor

Do nosso cantinho, é na partilha solidária dos despojos de dia um dia vil que a Ibéria na dor faz hoje todo o sentido. A condenação de todos nós deverá ser inequívoca.

Ouço, vejo e leio (e.g. o Caa no Blasfémias) a ideia que a luta é a mesma, em Madrid, Nova Iorque ou Jerusálem. Ou seja, a mesmidade do confronto com a vileza do terrorismo, uma desprezível forma de reivindicação política. Apoio. Mas tais afirmações também podem ser motes promotores de uma simplificação generalizadora, por isso mesmo passível de sugerir actuações padrão a partir de fórmulas fora do contexto. É que nem sempre a "guerra contra o terrorismo" se fará, firme e eficazmente, com guerra.



<< Home