Um Post do Exílio

Desgraçadamente, fiquei em casa a limar as arestas de um trabalho. Triste de mim. A pretexto de um amigo que após vários meses chega da Alemanha, foi tudo para a party (Em Coimbra a melhor noite é a de Quinta) Bem fizeram. Ainda por cima parece que havia aí uma festa monumental a pretexto de um carnaval antecipado. E eu que já não danço há tanto tempo a pretexto de um trabalho atrasado...[obviamente não me refiro a nenhum sentido mais nobre daquilo que seja dançar, falo sim, e citando Geertz, desses dramas plásticos em que as mulheres e homens alcançam a fé enquanto a representam]. Depois dizem que escrevo muitos posts e não tenho tempo para nada, como se isso fizesse algum sentido... Mas isto vai acabar (desejavelmente). Não os posts, claro.



<< Home