Miséria II (act.)


Leio os comentários de quem não percebe a razão de tanta indignação. Pois bem, voltámos a ver as imagens e não podiam ser mais claras. O Jorge Costa depois de ter estado precupado com a lesão de João Pinto está a um metro de Rui Jorge e faz-lhe sinal para o deixar voltar ao jogo. Rui Jorge viu o Liedson sozinho e, indiferente, atirou a bola por cima do Jorge Costa que ainda correu. O mais que conseguem dizer é que o golo foi legal porque o árbitro tinha dado sinal para começar o jogo?! Muitos se tornaram aduladores da legalidade quando mais se sentiram vazios de legitimidade. É assim tão difícil de reconhecer que o Rui Jorge teve uma atitude inqualificável numa semana em que a precupação com o estado de saúde de um adversário deveria ser valorizada como nunca?

Parece que José Bettencourt terá que provar a sua novela como réu de um processo-crime. Queiram aguardar os apedrejadores de serviço. A José Mourinho já o vimos perder, e apesar de não ter muita prática, sempre soube dar os parabéns ao adversário. Perdoem, muita haveria a dizer do Sporting de ontem, da exibição de Barbosa, de Ricardo, mas Rui Jorge sufocou esse espaço de enunciação. Lembro quando o Carlos Alberto Silva pôs um miúdo, defesa esquerdo, a jogar contra o Milão. Eu adorava-o. Era um tal de Rui Jorge. Tinha um autocolande dele colado na minha escrivaninha. É com tristeza acrescida que o vejo manchar uma carreira exemplar.

P.s. Qual processo-crime? O J.C.D já sentenciou: Está visto que a culpa é toda dele, afinal Mourinho é um mau carácter e um pobre de espírito. Sempre abismei com esta capacidade para emitir juízos por preconceito de carácter das figuras televisivas. Uma coisa é certa, teríamos uma justiça mais célere.



<< Home