O amor é uma ilusão visual

O amor é uma ilusão visual.


Esta é uma tese muito desacraditada entre quem conhece o fenómeno de perto. Segundo consta, uma percentagem assinalável dos estudiosos. No entanto, um argumento de monta desta teorização vem dos pós-traumatizados (os que vêem a coisa ao longe). No entender destes o amor é de facto uma ilusão visual, mas uma ilusão rara. Alegam que é uma construção óptica tão laboriosa que resiste a sucessivas mudanças de perspectiva, e, sobretudo, a muitos pontos de fuga. Embora este argumento tenha muitos adeptos tem sido pouco aceite: denuncia-se nos pós-traumatizados uma distância excessiva para com o tema em análise. Acusação a que estes tendem a responder com profético cinismo: "Ainda vais ver que não é bem assim". Enfim, deixá-los!, questões de perspectiva...



<< Home