Puta de bola

Não sou de dizer asneiras nem tão pouco uso a linguagem machista para desqualificar o que quer que seja. Mas tenho uma excepção. É quando jogo à bola - entenda-se futebol.
Por vezes, quando a jogada não corre do meu agrado, o remate sai ao lado, ou simplesmente fico sem bola, dou por mim a gritar um muito estranho PUTA!. Apercebi-me desta estúpida recorrência e comecei a ver que muitos jogadores têm o mesmo ímpeto perante os seus fracassos com a bola. Encontro duas explicações:
1- Chama-se puta à bola porque ela não nos é fiel e vai com quem paga melhor. Neste caso com quem tem uns pés mais jeitosinhos.
2- A emergência de expressões machistas está intimamente ligada à experiência - real ou imaginada - do fracasso de quem as enuncia.

De toda a maneira vou ver se substituo a expressão "puta". Não gosto. Além do mais, para ser totalmente corente com a lógica patriarcal teria que gritar "AMO-te" de cada vez que marcasse um golo. Sinceramente já me chega o ridículo de os falhar.



<< Home