Perfumaria

Gosto de visitar perfumarias como quem visita museus. Entro, pego naquelas tiras de papel e ponho-me a saborear as cheirosas prateleiras. Se alguma assistente de loja se aproxima logo digo, visualisticamente, "estou só a ver"! Nunca cheiro mais de 10 odores de cada vez, por isso volto sempre com algo novo para descobrir. Além do mais, os cheiros de um mesmo perfume mudam à medida que nós acompanhamos as águas de Heraclito. Uma pequena perfumaria pode ter uma dimensão afectiva aproximada à do museu do Louvre.
Fico sempre com a ideia de que prefiro os perfumes colocados do lado dos "para homem" . A bem dizer, não creio que essa distinção faça grande sentido. Os museus procuram ser criativos na forma de expôr as peças, não obedecem a um só critério. Gostaria de uma perfumaria em que os perfumes para homem e para mulher, lado a lado, se acotevelassem à espera da minha visita. Eu cheiraria indiscrimindamente, @s provador@s-comprador@s fariam o mesmo. Que sentido faz um perfume unisexo (tipo CK one), não o são todos!? . Não são todos feitos com os cheiros do mundo?
Fora dos meus museus, fora das tiras de papel, a cumplicidade dos perfumes com pescoços (não gosto do som desta palavra) merece toda uma diversa reflexão, desvelo apenas um desejo.

Os perfumes são amargos, sei-o porque quando beijo um pescoço perfumado sinto esse travo, um travo menorizado pelo primazia odorífica que me conduz, em todo o caso, seria bom que a indústria dos perfumes inventasse perfumes libertos de um tão amargo gosto. Logo eu que normalmente beijo pessoas doces!



<< Home