Livros de engate

Pedro Lomba tenta perceber o que leva tanta gente a querer publicar livros. Debate a demonstração de inteligência, a expressão de bondade, o desejo de ascensão social. Conclui que não dá mesmo para perceber. Charlotte avança com o liberalismo mercantil do mercado livreiro, a que junta uma apologia da diversidade na escolha. Ainda assim, creio que um factor muito importante passa à margem deste debate. Lembro-me de ter lido algures um reputado escritor dizendo que o seu móbil primeiro para escrever foi o desejo de impressionar mulheres, afirmava mesmo que, se não fosse este disseminado ímpeto de atrair, a humanidade ainda estaria nas cavernas. A minha tese é que uma importante fatia do mercado livreiro português é a consubstanciação de ardilosas estratégias de engate. (Desta vez não estou certo de estar a brincar).
P.S. Resulta?



<< Home