I can't argue with that

Sou não fumador - ou, melhor dizendo, não sou fumador-, convenci a minha mãe a deixar de fumar ao fim de 28 anos, evito comer fritos e tenho a mania que sou desportista. Portanto, embora avesso a processos culturais de estigmatização, tendo a ser sensível a dados semelhantes aos que o nosso médico apresenta quando alerta para as implicações do tabaco. Contudo, o argumento pró-tabagista da Maria cala-me fundo: "O cigarro faz-me companhia".

P.s. O possível efeito perverso da campanha que decorre será fazer do consumo de tabaco um acto de contestação. Ainda que possamos ter dúvidas em relação aos meios anti-tabágicos, não creio que se deva fomentar um enriquecimento simbólico da ideia de fumar como se de uma resitência subversiva se tratasse. Temo ficar tentado.



<< Home